Azores Digital

--> Hoje, dia 16 de Dezembro de 2017

s procurar...

Segunda, 04 de Agosto de 2008 475 visualizações Partilhar

Nicolau Santos, articulista que muito prezamos, fazia, h dias, no "Expresso" uma pergunta que nos deixa a pensar. Perguntava ele porque que finlandeses e alemes acreditam em ns, investindo milhes de euros na criao de centros de investigao e desenvolvimento na rea das telecomunicaes no nosso pas? Ser que so loucos? Deixmos, de propsito, as palavras usadas e as interrogaes feitas. A nossa resposta que eles no so loucos. Mas ns deveramos ser suficientemente sagazes para no ficar por a. Perguntas iguais andamos todos a fazer, h muitos anos. As respostas que tardam em surgir. E mesmo a resposta do articulista deixa muito a desejar. No por no ter razo. Mas por no ser suficientemente abrangente em muitos domnios. A resposta pergunta inicial diz ele - que eles apostam e acreditam em ns porque obtemos resultados to bons ou melhores que os outros (...) Ou seja, no, eles no so loucos. Portugal, de facto, no cresce por que no quer crescer. E no por termos agora um "sonhador" que se chama Scrates que vamos mudar. Bem ao contrrio. no seu reinado que estamos a deixar passar uma oportunidade de crescer um pouco mais. Bastaria que ele entendesse e no entende, mas no nico que a riqueza do Povo Portugus est mesmo no seu Povo. Neste Povo esquisito. Que barafusta por tudo e por nada. Que no gosta de Scrates como no gostava de Duro Barroso. Se ele at dizia coisas... de um S Carneiro e de um Cavaco Silva! Se nos convencssemos que temos mais de 15 milhes de Portugueses e no s os 10 milhes que apregoamos... talvez fosse mais fcil vencermos crises e no sossobrar nas tempestades em que mergulhmos e esto a crescer. Em todos os domnios. O Povo Portugus, esteja ele onde estiver at porque "a minha Ptria a Lngua Portuguesa..." bem capaz de dar a volta por cima. Temos de saber explicar-lhe as coisas. Chamar os bois pelo seu verdadeiro nome. Ho-de ver que estes senhores que atirmos para o Governo Portugus ainda no disseram uma nica vez que estamos em crise. Vo andando volta... volta... mas nada de entrar, a srio, no crculo da tal crise. Chamam-lhe abrandamento econmico, mesmo quando os sintomas vo mesmo no sentido da crise. At da recesso em alguns casos. Ainda hoje se conta que, logo aps a Segunda Guerra Mundial, os vencedores de ento andaram por todo o mundo procura de cabeas. E at de investimentos. E mesmo que as cabeas fossem do "inimigo"... eram bem-vindas. Foi tambm por a que4 prosperaram os Estados Unidos e a Rssia. Ainda hoje se pode afirmar que Portugal no soube, de facto, jogar... este jogo. Os Portugueses que se encontram espalhados por todo o mundo no so apenas ptimos construtores braais de Pases. No se ocupam, apenas, na limpeza das casas. So, tambm, professores universitrios e cientistas, empresrios de sucesso e mdicos e advogados. E tm sobretudo uma qualidade. que, a despeito de terem sido, e continuarem a ser, na sua maior parte, escorraados da Me Ptria... continuam a amar aqueles pedaos de terra que um dia eles ou os pais deixaram. Bastaria apenas que lhes falassem ao sentimento. Que lhes dessem um mnimo de condies. Os Scrates da nossa angstia... veriam que seria, ento, muito mais fcil debelar a crise.

Colunista:

Fernando Cruz Gomes

Outros Artigos de Fernando Cruz Gomes

Mais Artigos