Azores Digital

--> Hoje, dia 10 de Dezembro de 2018

Prioridades do CA da SATA

Segunda, 24 de Setembro de 2018 751 visualizações Partilhar

Não é de agora, mas é sobretudo do nosso tempo, que a informação organizacional, interna e externa, assume uma importância decisiva na afirmação das organizações junto do seu público alvo, (informação externa), mas é, também, um precioso instrumento de gestão interno quando se pretende, de facto, criar uma cultura organizacional que induza e favoreça sentimentos de pertença (informação interna).

No Grupo SATA, diga-se em abono da verdade, que nem a comunicação externa, nem a interna, atingem os seus objetivos. Mas, da necessidade de melhorar a circulação da informação interna, ou à necessidade de introduzir alterações à forma como o Grupo SATA comunica externamente, aspetos com os quais estou genericamente de acordo, até á decisão, pelo Conselho de Administração(CA) da SATA, de recrutar externamente um assessor de imprensa, que custará mais por ano do que o valor necessário para, por exemplo, regularizar grande parte da dívida a pequenos fornecedores, não me parece uma prioridade.

Não sei quem é, nem conheço as competências do assessor de imprensa, e não é disso que se trata pois, por melhor desempenho que possa vir a ter, não é com assessorias de informação que se resolvem as irregularidades operacionais/comerciais que com tanta frequência têm ocorrido no Grupo SATA, quiçá a prioridade em relação à admissão de novos trabalhadores será na área operacional para evitar o cancelamento de voos, ou o seu adiamento, por falta de tripulações, já agora fica uma outra comparação o custo anual desta contratação externa é equivalente ao recrutamento de 4 novos tripulantes de cabine.

Não coloco em causa a necessidade da existência de um quadro dedicado à assessoria de imprensa no Grupo SATA, mas tenho as minhas dúvidas sobre a opção por um recrutamento externo. Existem quadros do Grupo SATA com capacidade e conhecimento para exercerem essas funções e que continuam subaproveitados.

Quando foi conhecida a composição do CA da SATA congratulei-me pelo facto de um dos elementos ser um quadro da empresa. Recentemente o CA nomeou um novo Diretor dos Recursos Humanos e o Diretor Comercial, recorrendo, e bem, a dois quadros da SATA e dispensando uma contratação externa, só posso congratular-me com essa medida de gestão. Por outro lado, as atuais necessidades da SATA para satisfazer os compromissos operacionais/comerciais e dar resposta à procura, exigem novos recrutamentos externos para a área operacional, desde logo tripulantes de cabine e pilotos, e não de assessorias. Esta terá sido uma decisão da responsabilidade exclusiva do CA da SATA, isto é, não me parece que o acionista tivesse dado orientação expressa para esta admissão. Assim, poderá dizer-se que este terá sido um passo dado pelo CA da SATA que contraria tudo o que seria expetável face ao caminho que vinha a ser trilhado. Lamento, mas quanto a esta decisão a a avaliação é negativa.

Aníbal C. Pires, Ponta Delgada, 23 de Setembro de 2018

www.anibalpires.blogspot.com

 

 

Colunista:

Aníbal C. Pires

Outros Artigos de Aníbal C. Pires

Mais Artigos